Celular Xiaomi é realmente bom? Análise dos melhores modelos!

Mesmo não sendo mais vendidos oficialmente no Brasil, os aparelhos da Xiaomi fazem um certo sucesso por aqui por conta do seu custo benefício, mesmo após impostos de importação. Só que a empresa faz questão de ter muitos aparelhos no mercado e isso pode confundir um pouco.

Por isso mesmo, nesse vídeo vamos comentar sobre os principais equipamentos da marca em 2018 e já te mostrar quais valem mais a pena e porquê. Afinal, celular Xiaomi é bom?

Quais são os melhores celulares Xiaomi?

Antes de começar, eu preciso comentar que a Xiaomi, junto com Huawei e OnePlus são as melhores marcas chinesas, e ponto final.

A Xiaomi acabou focando bastante nos aparelhos de entrada e vem subindo de ticket médio. Mas ficou bem conhecida por entregas modelos consistentes, com componentes de boa qualidade e com um sistema próprio muito bonito e sempre atualizado a MIUI, que pra mim é um dos diferenciais reais dela.

Sabendo disso eu já posso passar para o primeiro modelo.

Xiaomi Pocophone F1

O Pocophone F1 alcança seu objetivo, que é ser muito barato com performance de topo de linha. No caminho ele economiza na construção, deixa algumas funções para trás e se limita um pouco nas câmeras. Mas sinceramente, entrega tudo que precisa.

Por esse preço ficou muito mais difícil recomendar outro aparelho, apesar de eu acabar gostando de alguns pontos melhores do OnePlus 6, que claro, você tem de pagar a mais para resolver. Só vale sempre fechar comentando sobre minha preocupação com falta de garantia, mas se você topa correr o risco, é uma ótima opção.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 845
  • Armazenamento Interno: 64/128/256 GB
  • RAM: 6/8 GB
  • Bateria: 4.000 mAh
  • Tela: 6,18 polegadas – 1080 x 2246 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/1.9 + 5MP f/2.0
  • Câmera Frontal: 20MP f/2.0

Xiaomi Redmi Note 6 Pro

O Redmi Note 6 Pro veio com poucas mudanças quando comparado com seu antecessor, o Note 5 Pro, que inclusive também não foi um smartphone muito inovador. Aliás, a Xiaomi com seus milhares de smartphones com Snapdragon 625 nunca tentou ser inovadora, mas sim custo benefício.

Ele tem bom desempenho, boa bateria, e não deixa a desejar nas fotos. A interface é ótima para quem gosta da MIUI, e certamente é um dos melhores custo benefício atualmente.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 636
  • Armazenamento Interno: 32/64 GB
  • RAM: 3/4 GB
  • Bateria: 4.000 mAh
  • Tela: 6,26 polegadas – 1080 x 2280 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/1.9 + 5MP f/2.2
  • Câmera Frontal: 20MP f/2.0

Xiaomi Mi 8

O Xiaomi Mi 8 com 6 GB de RAM e um processador Snapdragon 845 com o design que imita muito o iPhone X, com tela com notch e sensor de reconhecimento facial 3D, que funcionou muito bem na apresentação do produto e segundo a empresa, funciona até mesmo no escuro.

Este modelo consegue aliar um hardware e experiência de topo de linha sem custar tão caro assim, e o modelo Explorer Edition, que tem quase o mesmo hardware, porém, com 8 GB de memória RAM e o sensor de impressão digital na parte de baixo da tela, o que é bem legal.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 845
  • Armazenamento Interno: 64/128/256 GB
  • RAM: 6/8 GB
  • Bateria: 3.400 mAh
  • Tela: 6,21 polegadas – 1080 x 2248 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/1.8 + 12MP f/2.4
  • Câmera Frontal: 20MP f/2.0

Xiaomi Mi 8 SE

Além disso, este modelo tem uma variante intitulada Mi 8 SE, que é mais um equipamento intermediário premium, com processador Snapdragon 710, novo no mercado, tela AMOLED de 5,88 polegadas e câmera traseira dupla com sensores de doze e cinco megapixels. Que claro, são mais fraquinha que o Mi 8. Este modelo também é mais barato que a variante principal.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 710
  • Armazenamento Interno: 64 GB
  • RAM: 4/6 GB
  • Bateria: 3.120 mAh
  • Tela: 5,88 polegadas – 1080 x 2244 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/1.9 + 5MP f/2.0
  • Câmera Frontal: 20MP f/2.0

Xiaomi Mi A2 Lite

O Mi A2 Lite da Xiaomi faz parte da nova linha de aparelhos Android One, feita em parceria direta com o Google. A ideia por aqui é ao invés da MIUI ou de qualquer sistema operacional adaptado de uma marca, ter um Android mais simples e sem firulas, para que com isso ele possa ser atualizado com maior frequência.

Considero esse o melhor Android One lançado até agora, principalmente porque um dos grandes problemas da Xiaomi é a necessidade de uma ROM global, que nem todos seus aparelhos recebem. Basicamente, ao importar o Mi A2 lite você terá o melhor dos dois mundos por um preço bem justo.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 625
  • Armazenamento Interno: 32/64 GB
  • RAM: 3/4 GB
  • Bateria: 4.000 mAh
  • Tela: 5,84 polegadas – 1080 x 2280 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/2.2 + 5MP f/2.2
  • Câmera Frontal: 5MP f/2.0

Xiaomi Black Shark

O Xiaomi Black Shark é a opção mais barata de um “smartphone focado para jogos”. Com isso em mente, ele tenta solucionar problemas de jogatina comuns em smartphones sem acrescentar muita coisa, afinal, não poderia ficar caro.

Dentro da sua faixa de preço o Black Shark me surpreendeu, tanto no software e joystick quanto no desempenho. Eu sinceramente preferia a MIUI com mais esses adendos e não esse Android limpo, mas, tem a versão global, tem agora em português e isso que importa.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 845
  • Armazenamento Interno: 64/128/256 GB
  • RAM: 6/8 GB
  • Bateria: 3.400 mAh
  • Tela: 6,21 polegadas – 1080 x 2248 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/1.8 + 12MP f/2.4
  • Câmera Frontal: 20MP f/2.0

Xiaomi Redmi S2

E tem o Redmi S2, que é um modelo com a traseira MUITO parecida com a do iPhone X e tem até as câmeras duplas em formato de semáforo. Inclusive, este é o modelo mais barato da Xiaomi com câmeras duplas, mas você já sabe o que celular barato com duas câmeras quer dizer né? Furada.

Por isso mesmo, a empresa compensa com uma câmera frontal de 16 megapixels que parece ser bem legal. O Redmi S2 é basicamente um Note 5 Plus modificado, com menos bateria e tela de resolução inferior em troca de uma câmera frontal melhor, afinal a traseira é igual.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 625
  • Armazenamento Interno: 32/64 GB
  • RAM: 3/4 GB
  • Bateria: 3.080 mAh
  • Tela: 5,99 polegadas – 720 x 1440 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/2.2 + 5MP
  • Câmera Frontal: 16MP f/2.0

Xiaomi Mi Max 3

O Mi Max 3 é um celular extremamente competitivo pelo seu preço, como o diferencial mesmo é ele ser grande, ou enorme, dependendo da sua mão, todas as outras características se tornam “medianas”, senão ele ia sair caro pra caramba.

Dito isso, ele é consistente em tudo, bateria, desempenho, câmeras, mas se você estiver procurando uma dessas características em específico, vai achar melhor em outros modelos.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 636
  • Armazenamento Interno: 64/128 GB
  • RAM: 4/6 GB
  • Bateria: 5.500 mAh
  • Tela: 6,9 polegadas – 1080 x 2160 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/1.9 + 5MP
  • Câmera Frontal: 8MP f/2.0

Xiaomi Redmi 5 Plus

Se você gostou do modelo comum e quer ter um processamento e tela melhores, dá para investir um “tequinho” mais e pegar um modelo com processador Snapdragon 625 – um dos intermediários mais utilizados e que é ainda hoje. O interessante é que dá para pegar o Redmi 5 Plus com 64 GB de armazenamento para conseguir mais sem ter de fazer upgrade no resto das configurações.

Aliás, as câmeras são as mesmas do anterior, então olha, se isso importa pra você eu iria direto com um Mi A1. Mas para desempenho esse daqui é demais, até porque conta com 4.000 mAh, o que dá uma autonomia de um dia e meio fácil pra ele. E de novo, a tela está bem legal.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 625
  • Armazenamento Interno: 32/64 GB
  • RAM: 3/4 GB
  • Bateria: 4.000 mAh
  • Tela: 5,99 polegadas – 1080 x 2160 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/2.2
  • Câmera Frontal: 5MP f/2.4

Xiaomi Redmi Note 5

O Xiaomi Redmi Note 5 é provavelmente o melhor smartphone que você pode pegar lá da China. Tela bonita, desempenho acima da média em conjunto com peças de qualidade, uma câmera que avançou bastante, bateria que sobra no final do dia e um sistema operacional que pode demorar mas é atualizado, e claro bonito.

Sem brincadeira, tirando o fato de que a conexão é apenas microUSB e que falta a frequência B28 para 4G, eu recomendo bastante esse aparelho para quem quer importar ou topa comprar pelo Mercado Livre de alguém que importou.

Especificações: 

  • Processador: Snapdragon 625
  • Armazenamento Interno: 32/64 GB
  • RAM: 3/4 GB
  • Bateria: 4.000 mAh
  • Tela: 5,99 polegadas – 1080 x 2160 px
  • Câmera Traseira: 12MP f/2.2
  • Câmera Frontal: 5MP

História da Marca

Criada em 2010, a Xiaomi é uma empresa que logo de cara recebeu bastante atenção e consequentemente investimento de empresas como a Qualcomm e Holdings ligadas ao governo de Singapura.

Isso porque não teria como ela ter crescido o tanto que cresceu sozinha, sem uma estrutura e parcerias.

Com uma estratégia de quase não gastar em marketing e vender quase que diretamente para o consumidor, a Xiaomi conseguiu reduzir custos e criar uma base de usuários bastante fiéis, durante aquele período. O crescimento da empresa foi vertiginoso nesses anos, onde ela alcançou a liderança na China em 2014.

E se você achou pouco a empresa fechar com 60 milhões de aparelhos vendidos em 2014, em 2015 ela conseguiu crescer para 70 milhões de unidades vendidas.

Só que apesar desses números parecerem muito bons, a verdade é que de lá para cá a Xiaomi foi caindo de posições no mercado e da primeira posição passou para a quinta no mercado chinês, com apenas 10% de fatia de mercado.

E não é que a empresa lançou equipamentos ruins não!

Existem diversos fatores que influenciaram essa perda: o primeiro deles é a tendência dos chineses de mudarem de marca com frequência. Outro ponto foi a entrada de outras empresas no mercado usando tanto técnicas de divulgação e distribuição muito parecidas com a da Xiaomi, como com equipamentos muito mais maduros. A competição ficou mais acirrada mesmo. Você pega a Oppo e Vivo fazendo equipamentos baratos e a Huawei entregando equipamentos que tem uma cara própria e que realmente trazem alguma inovação.

E por fim tem a diminuição de demanda do público que não tinha smartphone e que agora tem, mas ficará um tempo sem atualizá-lo.

No mercado Indiano, por outro lado, a Xiaomi continua se dando bem e cresceu 15% no ultimo ano, por exemplo. E aliás, está ai um ponto porque a marca vem caindo um pouco, a falta de expansão. Em 2015, por exemplo, a Xiaomi tentou vir aqui pro brasil e introduziu o Redmi 2, que vendeu bem, mas a marca não entendeu que precisaria mudar a estratégia de distribuição e preço por conta do nosso mercado e saiu do país um pouco depois.

17 Comments
  1. Você vai fazer review dos modelos de One Plus e Huawei também? Vlww

  2. Muito grato! Gostei muito do seu post!

  3. Você falar que o mi 6 e intermediário qual sua logica nisso .

  4. O Celular parece ser muito bom e muitos atrativos ,mas e se der pau !
    aonde vou levar se não tem assistencia tecnica ?

  5. Sabe se el vai perder o sinal quando a anatel cortar os fones importados,?

  6. Só irá bloquear o sinal dos importados sem EMEI .os celulares xiaomi tem EMEI e já comprei uns quatro no mercado Livre e nenhum foi bloqueado

  7. sou do rj alguém sabe informar sobre assistençia tecnica ?? não encontrei nenhuma ligo rpo telefone da mudo

  8. Cara….tenho um 5A prime esta me atendendo muito bem ,sobre a assistência realmente não há no Brasil uma autorizada ,sei que na Sta Efigênia aqui em São Paulo há alguns quiosques que trabalham com a xiaomi porém nada oficial

  9. Compre um xiaomi e também comprei dois carregadores portáteis para servir de bateria, pois sua carga não dura três horas, o vendedor disse que durava uma semana, kkkk só se for desligado, comprei um problema e nem vou me dar o trabalho de ir atrás de garantia. É lixo mesmo

  10. Nem pode ser chamado de “mobile” porque só dá pra usar na tomada. A bateria não dura 4 horas. Pior celular que já tive desde o Tess Express.

  11. Não sei qual o celular de vocês, o meu é o Redmi note 5 pro, a bateria de 4 amperes dura 2 dias de uso moderado, jogando pubg e YouTube dura 14 a 20 horas sem carregar. Além de não travar, snapdragon 636, 4gb de ram e 64gb. No Brasil está na faixa de 1000 reais, além de câmeras ótimas, não tenho do que reclamar.

  12. Comprei um celular xiaomi, gostaria de saber se tem como instalar play store

  13. Pensando em comprar um Xiaomi? Dá só uma olhadinha no reclame aqui q sua dúvida vai acabar na hora. Mais de 300 reclamações e nenhuma solução. Uma é minha.

    • Tem outras marcas de celulares com muitas reclamações então, se todas as marcas de celulares são ruins pelo reclame aqui? Não teriam empresas aqui.

    • será que devemos acreditar nos reclamações? Às vezes querem prejudicar empresa já que tem pessoas leais aos outros empresas ou o usuário não sabe usar direto coloca apps lixos e mexe errado aí ferra o celular. Só apenas pensando sobre isso.

  14. Se for comprar e quiser jogar Free force, não comprem o Redmi 6. É um lixo, trava em praticamente todas as partidas.

Leave a reply