Galaxy J6 Plus: uma despedida pouco memorável

O Samsung Galaxy J6 Plus (J6+) marca o final da linha J da Samsung com o foco em simplicidade e modernidade. Eu pensava que fechariam com um aparelho extremamente caro e desnecessário, só para encher linguiça, mas alguns meses depois e vários reais de desconto, minha opinião começou a mudar. Será então que ele vale a pena? Até quanto? É o que eu quero analisar no review de hoje e responder se ele é bom pelo preço.

Design e construção

O Galaxy J6 Plus não chegou sozinho, ele foi lançado simultaneamente com o Galaxy J4 Plus, e compartilha algumas de suas características com o irmão mais velho aqui. Aliás, o J6 Plus é uma versão mais bem acabada do Galaxy J6 normal e não simplesmente uma versão melhor.

A tela possui 6 polegadas, então ele é maior que o modelo sem Plus, mesmo que tenha menos bordas que gerações anteriores, a pegada é até um pouco desajeitada, já que suas dimensões são iguais a de um Galaxy Note 9, só que mais quadrado. Mesmo assim eu gostei das costas retas, feita de um material reflexivo que tenta parecer algo mais caro, mas é só plástico.

Pelo corpo você encontra tudo que é esperado de um aparelho de entrada, são duas bandejas na lateral, totalizando suporte para 2 chips de operadora e expansão de memória. O leitor de digitais fica junto do botão de liga-desliga, parecido com o Galaxy A7 2018 ou o novo S10e. Eu esperava que essa tendência continuasse na próxima geração, mas todos os modelos novos da linha A que irão substituir esse daqui tem sensores traseiros.

O alto falante mono é ok para o valor e também fica na lateral, enquanto que a entrada micro USB é da versão 2.0. Não é o ideal mas ainda é o comum em aparelhos abaixo dos mil reais.

Outra característica que sempre aparece nessa faixa é a tela de resolução HD, que nesse caso é de proporção 18,5:9. Só que temos um porém aqui, porque diferente do J6 que tinha Amoled como tecnologia do painel, o Plus é LCD IPS. Ele tem cores um pouco mais realistas, mas na minha opinião perde em beleza, e claro, no contraste. Sinceramente, esse não é exatamente um ponto negativo, porque a Samsung manteve o padrão de outras características, como o brilho e as cores.

Desempenho

Quando falamos de desempenho, o J6 Plus definitivamente não se sobressai, são 32 GB de armazenamento, 3 GB de RAM e Snapdragon 425, um chipset do terceiro semestre de 2016, bem antigo, que basicamente aguenta o sistema do próprio celular e um jogo básico. Em testes de benchmark, o resultado foi um pouco pior que do próprio J6 mais antigo, mostrando que o sistema foi pensado para o básico e só.

Outro ponto que deixou a desejar foi a bateria. A carga total é de 3.300 miliampere-hora, que na época até era ok, mas desde o começo do ano vimos diversos lançamentos trazendo baterias de 4.000 miliampere-hora.

Por aqui consegui algumas horas de Youtube, que teve uma ajudinha da resolução baixa, e claro, um pouco menos de tempo jogando. Não são valores ruins, é só que esse segmento perto dos 800 reais está meio que dominado por modelos com mais bateria. Você vai chegar no final do dia sem problemas e justamente vai precisar, porque o carregamento é lento. Precisei de quase duas horas e meia para ir de 0 a 100% com o carregador da caixa, de 6 W.

Câmera traseira e frontal

O que poderia ser um diferencial maior são as câmeras, na traseira, o J6 Plus possui um conjunto duplo, lente principal de resolução de 13 megapixels e abertura f/1.9, acompanhado de uma lente auxiliar de 5 megapixels,que é utilizada apenas para o foco dinâmico.

As fotos são razoáveis em cor e contraste, e até que fazem um bom recorte nesse modo retrato, mas o HDR é limitado, até por conta do processador fraco. Ele também limita as gravações, que chegam até 1080p mas sem qualquer tipo de estabilização. Padrão para a faixa de preço.

A câmera frontal possui 8 megapixels e repete o que você vê na traseira, não chega a ser uma câmera super simples, mas não chega a ser super básica, ela faz um modo retrato bom, e sofre de noite e contra a luz. Você encontra resultados melhores nos importados, mas é dentro do padrão dos nacionais. Mesma história para vídeos, que consegue gravar em 1080p e, de novo, sem estabilização.

Para finalizar, não falta nenhum sensor importante de navegação, e em breve ele deve receber o Android Pie com a One UI, assim como o J6 menor. Estou bem curioso para ver como esse sistema vai conseguir lidar com a interface nova, que não vai resolver os problemas mais sérios do J6+, mas pode dar um ar de novidade para esses aparelhos de entrada da Samsung.

Conclusão

O resumo da conversa é que o principal destaque do Galaxy J6 Plus são as câmeras, que não ficam tão à frente da concorrência assim, seu design e sua tela, de boa qualidade. De resto ele é bem razoável para o seu preço perto dos 800 reais e um Galaxy J4+ me parece um custo benefício melhor, já que divide muita coisa com esse modelo aqui.

O próprio J6 é legal e mais barato, mas bem sem gracinha em sua construção. Enfim, se quer bateria tem outros modelos melhores, se quer processamento também tem, mas se quer beleza e segurança, esse até que é um modelo legal.

6.5 Total Score

User Rating: Be the first one!
Diga o que você achou

Leave a reply