iPhone 8 vs iPhone XR: qual é o melhor?

A última linha de iPhones está bem legal, mas se você não quer gastar muito, talvez precise pegar a versão anterior, o iPhone 8. Mas quais são as diferenças entre eles? Se você está pensando em pegar um iPhone um pouquinho mais barato que os 7 mil reais iniciais do iPhone XS, provavelmente deve estar considerando a linha 8 ou o iPhone XR. A ideia hoje é mostrar um pouco mais das diferenças entre eles para você tomar sua decisão.

Design

O iPhone X foi a primeira alteração grande de design que a Apple fez em seus produtos em muito tempo, mas não dava para ela continuar sua estratégia de aumentar os preços sem ter um aparelho inicial, que pega o usuário que justamente não precisa de tudo o que a linha mais cara tem a oferecer. É dessa necessidade que aparece o iPhone XR, com suas variadas cores que lembram a linha do iPhone 5C, mas que de forma alguma faz a mesma economia nos componentes que essa geração.

Os dois modelos que estamos comparando, o iPhone 8 e o XR, possuem o mesmo acabamento traseiro em vidro que permite o carregamento sem fio, e como no modelo menor temos apenas uma câmera, dá até para dizer que eles são bem parecidos. O que muda mesmo são as cores que passam de dourado, prata e cinza espacial para branco, vermelho, amarelo, laranja, preto e azul.

Eu falo isso porque realmente em carcaça não tem muito mais do que falar além da mudança de local da bandeja de cartão. Ah é, o mais novo aceita aquele segundo chip eletrônico, o e-sim, mas falta chegar de forma fácil aqui no Brasil.

Prosseguindo, temos a questão da tela. Mesmo com 6,1 polegadas, o display LCD IPS do iPhone XR tem resolução apenas HD. No papel isso pode parecer ruim, mas no dia a dia não me incomodou de forma alguma. Temos a mesma resolução do iPhone 8 e um pouco menos que o 8 Plus, com características de cor e contraste muito parecidas, é basicamente o que já vinha sendo feito em todas as linhas anteriores e que nunca ninguém reclamou.

Eu ando usando o iPhone XR como meu celular principal há algumas semanas, e como sempre, tirando a qualidade de vídeos que eu adoraria que fosse mais nítido, não me incomodou, aliás, nem isso me incomoda o suficiente. Até porque, menor resolução também quer dizer menos gasto energético e o XR é provavelmente o celular com melhor gerenciamento de bateria de toda a linha.

Desempenho

Não que a linha 8 e 8 Plus fique muito para trás. Uma hora de Netflix consome apenas 5%, Asphalt 9 leva 16% e temos de lembrar como todos os aparelhos gastam pouca energia no modo de repouso. O grande problema, que não foi resolvido em nenhum desses modelos é o carregador de apenas 5W que o faz demorar para carregar.

Outra mudança importante, mas que sinceramente eu acho pouco relevante para a maioria das pessoas, é o avanço de processamento. Do A11 presente na linha 8 para o A12, o chip mais recente, o incremento em desempenho e em vídeo foi até que grande. No dia a dia isso não aparece no entanto, já que mesmo a linha 8 abre tudo com boa velocidade, mas no modo de realidade aumentada não parece mais que o celular vai fritar na sua mão.

 

Além disso não tem nenhum aplicativo que não vá rodar no aparelho mais antigo, é questão de alguns segundos de abertura inicial, com ele sendo até mais rápido em algumas situações. O que pode mudar é o que você consegue manter aberto já que o 8 possui 2 GB de RAM, e o 8 Plus e XR possuem 3 GB.

Ficou de fora no XR o 3DTouch, aquela função de apertar um pouco mais a tela para abrir algumas opções. Tal tecnologia foi só para o XS e por aqui teve de ser foi substituído por uma função que a Apple nomeou de Hapic Touch e que consiste em apertar e segurar. Infelizmente, muitas das ações presentes em aplicativos se perderam, então se você já estava acostumado com isso, vale a pena repensar.

Câmera traseira e frontal

Com relação às especificações de câmera, todas as principais informações se mantiveram as mesmas. 12 megapixels com abertura f/1.8 e a mesma distância focal na câmera traseira. O incremento que ocorreu foi no tamanho do sensor, o que resulta em uma entrada maior de luz.

Isso, associado com a melhoria no HDR, essa função que capta e baliza melhor o que é muito claro e muito escuro na cena, faz eu geralmente recomendar o XR perante o X ou perante a linha 8 para aqueles que gostam de câmera. O modo retrato tem uma qualidade muito boa no XR e ocorre por software, o que o impede de dar profundidade para outra coisa que não pessoas.

Ao falar de filmagens com a câmera traseira você não terá uma evolução tão relevante. Os mesmos modos de até 4K60 se mantém. Só a faixa dinâmica que melhora com essa evolução toda de HDR.

Na frontal temos a mesma situação, depois de anos com a plataforma Android lidando melhor com cenas contra a luz, o HDR+ trouxe provavelmente a câmera que melhor compreende variadas exposições tanto em vídeo como em foto.

Em cenas favoráveis talvez você nem perceba a diferença, já que a resolução de 7 megapixels com abertura f/2.2 se mantém. Como sempre, a qualidade no Instagram dos dois modelos é superior a qualquer Android, um ponto importante na escolha, mas olha, como os dois são iPhone, bom deixar isso de lado.

Conclusão

Resumindo, a diferença que temos entre o iPhone 8 que está R$3.000,00, o 8 Plus que sai por R3.600,00 e o XR por R$4.000,00, me faria ir direto com o XR por conta do espaço de tela e o HDR+ que faz uma baita diferença.

O único benefício de pegar um iPhone 8 Plus seria os 500 reais a mais na sua conta, o modo retrato que funciona com qualquer coisa e a tela com maior resolução. No caso do iPhone 8, o benefício é portabilidade, economia e como no anterior, o TouchID.

Diga o que você achou

Leave a reply