iPhone XS vs Galaxy Note 9: os melhores do ano

Se você está procurando o melhor aparelho do ano, não tem jeito, as principais escolhas estão entre Apple e Samsung. Em um ambiente tão polarizado, será que algum deles se sai tão na frente a ponto de converter um Apple Lover ou um Androideano para o outro lado da força?

Hoje eu vou pegar os dois melhores aparelhos de cada segmento, o Galaxy Note 9 e o iPhone XS para explorar tudo que eles podem oferecer.

Design

A aparência desses modelos não está muito diferente do ano passado. As duas marcas preferiram não reinventar a roda e focar mais no interior e em funcionalidades, do que florear a parte externa, mas mesmo assim eles continuam chamando a atenção. Seja pela maçã ou pela caneta, você bate o olho e já sabe o que esperar desses aparelhos.

Começando a comparação pela tela, ambos utilizam tecnologia AMOLED, que é produzida pela Samsung. O Note 9 chama de super amoled e o iPhone de retina display – tudo farinha do mesmo saco. Mas o brilho está bem mais forte no iPhone, chegando em 1000 Lux, enquanto o Note 9 fica ali próximo de 700.

A diferença maior fica no tamanho do corpo, o Note 9 é mais grosso e chega a ser quase 2 centímetros mais alto que o iPhone XS, sua tela de 6,4 polegadas tem resolução 1440p contra apenas 1125p e 5,8 polegadas do XS. Até o iPhone XS Max é um pouco mais baixinho, mesmo tendo 6,5 polegadas – redução proporcionada pelo notch.

Eu gosto dele e acho uma opção bem válida para reduzir esses aparelhos que estão cada vez maiores. O único problema aqui é o mal dimensionamento da tela na horizontal, que acaba cortando todos os apps e atrapalhando pra caramba. Parece que eles preferem deixar isso para os donos do app resolver, como o Instagram que até usa o notch pra mostrar algumas informações.

Ele também é utilizado para guardar os vários sensores do Face ID, que agora está mais rápido e te reconhece com mais facilidade, um ponto positivo comparado com o Iris Scanner do Note 9, que cansa a vista se for muito usado e funciona bem mal no escuro. A verdade é que ainda demora um pouco e precisa ligar a tela. Pelo menos o Note 9 tem a digital na traseira.

Ainda falando do corpo do aparelho, o que eu não consigo superar é a falta de P2 no iPhone, por mais que os fones deles agora também venham no padrão lightning – ele é inútil para qualquer outro aparelho. Você fica dependendo de adaptador ou de bluetooth pra tudo.

Prefiro minha porta P2 pra não precisar me preocupar com outra pecinha, ter a liberdade de tirar o fone do celular e por no laptop ou simplesmente usar um microfone externo para gravação com maior facilidade.

No geral, o Note 9 sempre tem uma tendência de trazer um pouco mais de opções de uso. Aliás, os dois contam carregamento sem fio, saídas de áudio estéreo de ótima qualidade e certificação IP68, finalmente em um celular da Apple.

Desempenho

Em questão de performance, comparar chipsets diferentes em sistemas operacionais diferentes é sempre complicado, ainda mais quando estamos falando de 3 diferentes. Nosso Note 9 é internacional e veio com o Exynos 9810, já a versão brasileira vem com o Snapdragon 845 e o iPhone XS utiliza o chip A12 Bionic, desenvolvido pela própria Apple.

Cada um deles tem suas particularidades e os testes de benchmark nunca vão contar a história toda, já que podem exacerbar ou ocultar problemas na arquitetura do chip.

Além disso, por causa da diferença de tempo entre os lançamentos de chips, falar que o A12 é superior ao Snapdragon 845 é igual falar que o 845 é superior ao A11, e provavelmente o snapdragon 855, vai ser melhor que o A12 e quem veio por último sempre vai estar melhor – mas por enquanto o A12 está sim no topo, oferecendo uma experiência mais fluida.

Dificilmente algum app vai travar, mas o iPhone fica para trás no resto do hardware, começando em 64GB de armazenamento e indo até 512GB, que é um bom número mas falta a opção de expansão, presente no Note 9.

Os 4GB de RAM parecem pouco para quem é heavy user, mas o gerenciamento da Apple é bom e o Note 9 ainda acaba tendo de recarregar mais aplicativos. Alguns carregam tão rápido que você não percebe tanto, mas na hora de usar o Samsung Dex, por exemplo, ter pelo menos 6 ou 8 giga de RAM realmente faz uma diferença no modelo da Samsung.

Legal a possibilidade de ter até 8GB e de conseguir ir de 512 até 1TB com o Micro SD – e a variedade de acessórios com USB-C transforma a utilização do modo desktop em algo bem mais confortável.

Bateria

Uma limitação incômoda do A12 é a bateria menor do que a média. Sim, eles melhoraram a eficiência com o processador de 7 nanômetros e deram uma incrementada em tamanho, mas o Civilization VI, por exemplo, apesar de rodar como se estivesse no PC, leva embora quase a bateria inteira em 1 hora de jogatina com a tela no brilho médio.

Não sei se é falta de otimização, mas foi quase 46% da bateria embora. Abaixo estão alguns exemplos de uso de aplicativos por 1 hora com o valor de lux balizado entre os dois e apenas no Wi-Fi, sem bluetooth nem outras conexões habilitadas.

Vale comentar que em um comparativo com o iPhone XS Max a Apple deve levar a vantagem nesse quesito. É claro que por ter apenas 2658 mAh, o iPhone XS, carrega bem mais rápido que as 4000 mAh do Note 9. Carregando os dois num mesmo hub aqui do estúdio e iniciando em 19% de bateria, o iPhone chegou até 86% de carga, enquanto o note ficou no meio do caminho, em 46%. Lembrando que isso foi com o mesmo carregador, porque, na caixa, a Apple teve a coragem de colocar uma fonte de 5W contra 15W na fonte da Samsung.

Câmera traseira e frontal

Tirando essas sacanagens clássicas de Apple, está na hora de falar de fotos. A câmera do iPhone tem um histórico de ser uma das melhores do mercado, e o XS não mudou a tradição, com o sensor principal de 12 MP e abertura f/1.8, vai bem em todas as situações e é auxiliado por um segundo sensor para fotos em modo retrato e zoom ótico de 2 vezes.

O Note 9 tem um par bastante similar de lentes de 12 megapixels, possui tecnologia de abertura dupla para adaptar a câmera para situações de baixa luz, e a segunda lente tem abertura igual do iPhone, serve para o modo retrato e deveria servir para dar zoom de 2x também.

A Samsung teima em escolher por você e usar o zoom digital nas fotos. Em vídeo, você consegue escolher o tal do zoom com a segunda câmera e ainda se aproveitar da estabilização ótica da segunda lente que também está presente no iPhone XS.

Mas voltando um pouco mais para as fotos, lado a lado eles ficam próximos, mas o iPhone é superior em alguns ponto específicos. O Smart HDR está mais rápido, clicou e pronto. No Note 9 você sente ele processando um pouco. O XS avançou bastante na definição do HDR que deixa os brancos bem menos estourados. Ele era um problema no Note 8 e agora até ultrapassou os modelos Android.

Além disso, o modo retrato me impressionou bastante, deixando a transição bem suave e destacando mais a pessoa. A capacidade de editar o efeito embaçado antes e depois, que era um avanço da Samsung, foi implementado no iPhone, que deve receber a edição prévia no update 12.1.

Em ambientes escuros no entanto, a situação inverte e as fotos do Note ficam mais claras, com cores mais vivas e um contraste melhor.

Sinceramente, pra Instagram, foto de balada, férias de dezembro, os dois aparelhos são praticamente iguais, eu só consideraria essas pequenas diferenças como fator de compra se você trabalha com fotografia ou é um hobbista e quer algo específico.

Usabilidade

Ficou faltando falar só das suas especificidades. Enquanto o iPhone tem um foco no iOS para conseguir convencer alguém a ir para o seu lado da força, e olha, isso é motivo o suficiente por causa de integrações com outras plataformas da empresa, o Note 9 tem uma mescla com hardware para tentar te convencer.

Primeiro, é a única linha de celular que implementa bem o uso de uma caneta, integrando um equipamento com 4 mil níveis de pressão ao software que auxilia na produtividade. O Note 9 é também o primeiro smartphone da Samsung a conseguir ativar o Samsung Dex de forma nativa, tornando-o uma solução de desktop com mouse e teclado se você desejar.

Temos ainda, a capacidade de acoplar câmera 360, usar um óculos de realidade virtual da própria samsung e claro, adaptadores usbc na caixa com carregador rápido. Não dá para não citar isso denovo.

Conclusão

No final, não resta dúvidas, os dois são os melhores aparelhos no ano, mas cada um suprindo necessidades de públicos diferentes.

O Note 9 com a S Pen têm uma pegada mais executiva, voltado para produtividade – mandar e-mail, uma anotação de reunião, escrever um relatório, ou também pra quem está interessado em fazer umas artes para redes sociais -, enquanto o iPhone XS é o aparelho pra quem quer o iOS mais avançado do momento, além de todo o ecossistema Apple, que está muito mais maduro e integrado que o da Samsung.

É muito mais cômodo você ter um iPhone se você já tem um Mac, um iPad ou um Apple Watch, porém é mais uma questão de ser do clubinho Apple do que custo benefício, se além do melhor aparelho possível você também quiser ser dessa turma, terá que desembolsar entre 6 e 10 mil reais ou mais para ir de XS ou de XS Max.

Se você não se importa com essas firulas ou prefere a interface e maleabilidade de um sistema Android, não tem como errar com o Galaxy Note 9, que claro, não é uma pechincha, mas já sai mais baratinho com seus 128GB.

Diga o que você achou

Leave a reply