Lenovo Ideapad 330S: notebook básico e compacto

Estamos aqui hoje para analisar o Lenovo Ideapad 330S, o mais novo notebook fino de entrada da Lenovo. Isso quer dizer que ele pegou o custo benefício da linha 330 comum e deu um upgrade em alguns conceitos, principalmente na construção. Som isso o preço também sobe, então será que vale a pena pagar um pouquinho a mais? É o que eu vou tentar explicar!

Design

A primeira coisa que você sente no Ideapad 330s é um bom avanço em construção. Apesar de ainda ser de plástico, o equipamento ganhou um acabamento em cor azulado que chama bastante a atenção e só de pegar nele já é possível sentir que é mais resistente que o modelo mais básico.

A Lenovo felizmente faz questão de deixar seu logo escondido no aparelho aqui no tampo, o que dá uma cara extremamente clean para ele. Na boa, eu tenho de repetir, esse azul tá bonito pra caramba. Só que você vai ter de ter cuidado dobrado com ele, afinal é extremamente fácil a tampa riscar.

O equipamento conta no lado esquerdo com a entrada de carregamento, HDMI, USB 3.0, USB C e entrada de fone de ouvido. Do outro lado ainda temos a presença do leitor de cartão SD e outro usb, além da trava.

No interior, temos mais um ponto importante, a tela com poucas bordas é claramente mais chamativa e fica melhor do que a versão com muitas bordas do Ideapad 330. Algumas outras marcas implementaram tal estilo em seus equipamentos e eu adoro, mas ainda é difícil encontrá-la por aí, então ponto para a Lenovo.

Infelizmente, faltou gastar um pouquinho mais no painel que ainda tem cores bastante lavadas e um ângulo de visão horrível, justamente porque estamos falando de uma tecnologia TFT. Eu consegui melhorar um pouco o uso no dia a dia configurando a interface para entregar mais contraste como um todo através do DCCW. Tela é algo que a Lenovo não anda querendo investir muito, então não recomendaria esse notebook para alguém que realmente precisa editar fotos.

Teclado e trackpad

Seu tampo tem o mesmo acabamento da parte externa e fica gelado no frio. O teclado tem uma pegada um pouco mais plástica com um acabamento áspero em cima, além de claro, o design característico da Lenovo que é arredondado em cima e embaixo das teclas. Achei ele bem “ok”, o espaçamento está bom e claramente as teclas viajam um pouco mais do que o normal, mas é uma experiência legal. Só ficou faltando ser retroiluminado.

No caso do trackpad, ele é um pouco melhor do que o Ideapad 330 normal que afundava bastante e dava uma impressão de mais barato. Ele já tem todas as funções de trackpad, permitindo arrastar com dois dedos no lado direito, dar zoom, se mover entre áreas de trabalho e tudo mais.

O mesmo vale para as saídas de som que apesar de um pouco mais altas do que a média são bem fraquinhas no quesito qualidade, se você gosta de música vai ficar no fone.

Olhando a construção como um todo, a principal coisa que fica é o tamanho do equipamento, já que o peso de 1,8 kg para o modelo de 15,6 polegadas não é tão menor assim que os 2,0 kg do 330 comum.

Configuração e desempenho

Uma coisa que muda por dentro e que importa um pouco mais, pelo menos para mim, é o fato de que o modelo S traz a possibilidade de colocar um SSD M.2 e consequentemente adicionar uma memória OPTANE, dois incrementos importantes para a velocidade.

O equipamento que temos em mãos não tem nenhum dos dois incluso, mas já conta com um processador Core i5 8250U e uma placa dedicada Radeon 535 de 2GB de RAM. A Lenovo promete que existirão versões com a Radeon 540 de 4GB de RAM e o equipamento vai até o Core I7 8550U, mas até o momento só temos Core i7 com a 535 e apenas na versão de 15,6 polegadas, na de 14 polegadas apenas placas integradas.

 

Até aí as configurações são bem ok, o problema, do meu ponto de vista, é que na versão de 8GB você tem 4 soldado e 4 separado, limitando um pouco o upgrade, que chega no máximo em 20GB através de uma segunda memória de 16GB DDR4, que é o padrão por aqui.

Com o modelo de entrada, o Core i5 e placa integrada você vai conseguir trabalhar sem problemas com pacote office e coisas do dia a dia. Mas na hora de jogar você vai ficar limitado à alguns mobas e jogos mais simples. Com o upgrade para a placa dedicada, a Radeon 535 você já consegue entrar um pouco no mundo dos jogos. LoL já pode ir pro médio alto sem problema, Fifa 2018 roda no alto, um Titanfall 2 roda no baixo, Civilization 6, ou até mesmo um Overwatch com tudo no mínimo.

A placa gráfica também pode ajudar a melhorar tempos de render e a experiência ao editar vídeos, mas tivemos um pouco de problemas para usar o OpenGL com o Premiere Pro, e mesmo assim consegui renderizar um vídeo em 4K sem edição de 20 minutos em 29 minutos, uma boa marca. Só não dá para editar conteúdo em 4K sem ter quedas durante o processo, tem de ficar em 1080P mesmo.

Deu pra trabalhar, deu pra fazer tudo, mas quem já usou um SSD sabe que o upgrade é extremamente necessário – o aparelho saindo da caixa tem um tempo de boot de 30 segundos que pode ser bastante reduzido com um SSD M.2.

O modelo de 15,6 polegadas tem 52,5Wh de capacidade, um valor bem condizente com o mercado. Aliás, 1 hora de tela no máximo vendo youtube gastou 18%, o que dá umas 5 horas de uso básico, um valor acima da média. Para qualquer coisa mais pesada espere menos, então editando no Premiere dá umas 2 horas e pouco, para jogos, ainda menos.

Felizmente, temos o carregamento rápido implementado em um carregador bem bonito. Em 1 hora e 40 minutos é possível recuperar toda a carga, ponto para a Lenovo nesse quesito.

É importante ressaltar que a versão de 14 polegadas tem uma bateria menor de 30 Wh que não condiz com a redução de tela e que provavelmente entrega resultados menores que o analisado.

Ah, e meu Deus, McAffe LiveSafe, eles não param de mandar mensagens enormes de que estou desprotegido. Isso é um saco e basta desinstalar ele e não instalar nenhuma tranqueira que você estará melhor – só um aviso de amigo.

Conclusão

O Lenovo 330s é um ótimo notebook para quem precisa de produtividade com um pouco de jogos para desestressar. Como em outros segmentos, existem concorrentes como a Asus e Dell entregando modelos até que parecidos mas com foco em outros pontos, então o 330S não está sozinho, e é competitivo.

Mas se você precisar de uma tela melhor ou de mais desempenho, talvez tenha de ir pra outros modelos. O lado bom é que você consegue fazer bons upgrades de RAM e SSD para ter uma versatilidade maior com o tempo.

Para fechar, vale comentar que o preço de lançamento está acima da média do mercado e que vale fazer comparações para tentar pegar em um preço mais condizente – 2800 reais pelo modelo que testamos já começa a ser mais interessante que os 3400 oferecidos pela empresa.

7 Total Score

User Rating: Be the first one!
Diga o que você achou

Leave a reply