Monitor Acer KG271: o barato que pode sair caro

Como a gente anda montando uns PCs para jogos, precisávamos de um monitor mais adequado para extrair o máximo nos games. Foi então que o Acer KG271 apareceu na minha frente, um monitor de 27 polegadas um pouco abaixo de R$1.000,00. Será que vale a pena? É o que eu vou te contar hoje nesse review.

Design e construção

O que impressiona nos modelos da Acer é sempre o seu design pelo preço. Tal como o VA270H, que é meio que o mesmo layout só que para trabalho, as linhas são bem mais clean do que a média, e principalmente, temos menos bordas na tela, e foi isso que me chamou a atenção, porque ele parece mais caro.

Acho 24 polegadas legal, mas ainda é um pouco pequeno, e 32 já é quase uma TV. Então, 27 polegadas por aqui parece ser o ideal, ainda mais com bordas finas, 1 milissegundo de tempo de resposta e 75Hz de taxa de atualização.

Existem outras características importantes em um monitor. Para começo de conversa ele precisa ter brilho, e os 300 nits que temos por aqui é apenas razoável. Então, se o ambiente for muito iluminado você não consiga enxergar tão bem, mas em um quarto um pouco mais fechado você não terá problema algum.

Qualidade do painel

Ele precisa também ter boas cores, e dai começamos a entrar em uma situação um pouquinho mais chata. Para ser barato assim, esse é um painel TN, basicamente a tecnologia mais simples e mais barata que você pode ter em um monitor. É muito fácil ter 1 milissegundo de resposta com ela, então se você ver um monitor barato, provavelmente é TN.

O lado ruim dele é que para resumir, as cores são bem mais esbranquiçadas, então mesmo esse monitor englobando 72% do espectro NTSC, valor que não é horrível, mas também não é bom. Parece sempre que tem uma névoa branca pairando sobre a tela. Não me entendam errado, é difícil conseguir um monitor gamer melhor pela faixa de preço, mas sinceramente, eu sou um cara que gosta de coisas bonitas e com mais cor.

Esse tipo de painel, aliás, também conta com ângulos de visão meio ruins, então a ideia é ser usado por apenas uma pessoa, nada de sessões de multiplayer para não perder a noção das cores. Sabendo dessas limitações, eu fui testar nos jogos.

Para começo de conversa, monitores gamers de qualidade necessitam de um bom processamento para evitar o tearing. Para melhorar ainda mais e deixar as cenas todas cravadinhas, esse monitor também conta com o AMD FreeSync, que iguala o número de frames que saem da placa de vídeo para o monitor. Apesar de legal, vamos ser sinceros, tem bem mais gente com placa NVIDIA que AMD e mesmo o PS4 tem poucos frames a ponto de não conseguir utilizá-lo.

Como eu tenho um PC barato com a Radeon 560X deu para usar sem problemas. Em outros jogos no PC, mesmo com placa NVIDIA não tive problemas, mas sempre rodando tudo acima de 60 frames por segundo.

Quando chegou a hora de testar com o PS4 eu tive alguns probleminhas de ghosting ao usar principalmente os modos de games, que aplicam maior nitidez, afinal, a taxa de atualização do monitor é maior do que a do videogame. Fui atrás de testes e de usar o monitor com o PC, e sim, esse monitor vai melhor em cenas escuras, mas em coisas claras você percebe um pouco do problema.

Para comparar, nossa TV 4K LG SM9000, que é um modelo mais caro, com melhor processamento resolveu isso sozinha no seu modo de Game em HDR. Então é um ponto um pouquinho chato se você for muito detalhista, na maioria dos jogos, que geralmente são escuros, eu nem percebi.

Interface e experiência

Felizmente, os menus desse monitor são bem fáceis de serem acessados através dos botões frontais e de ícones que mostram o que cada um faz. Temos 8 configurações diferentes, sendo que algumas delas podem ser alteradas e salvas. Isso é um ponto importante, já que eu senti que esse monitor precisa realmente ser ajustado manualmente para entregar o melhor resultado para você. Aliás, o modo de FPS já vem com a mira que eu demorei um pouco para conseguir tirar e saber que podia salvar. São 3 opções e talvez tenha alguém que goste.

Para trabalhar, no entanto, eu me decepcionei um pouco. Essa foi minha primeira experiência com um monitor 27 polegadas Full HD, e olha, começa a incomodar um pouco a leitura e escrita, as letras não ficam bem definidas, mesmo com configurações para telas maiores. Felizmente, temos um modo de descanso de vista, com a retirada de luz azul, o que já me deu uma ajudada. Enfim, achei legal mas cansou minha vista. O último monitor Quad HD de 32 polegadas que usei da Samsung foi mais confortável.

Com relação às caixas de som, elas são usáveis, mas são bem baixas, e eu geralmente usei com fone de ouvido ou adicionei uma caixinha de som da LG para ter uma experiência melhor, principalmente em games, onde mais graves vão bem.

Conclusão

Para mim ficou claro que por esse tamanho, preço e função o Acer KG271 é uma das melhores opções, mas não é a melhor escolha. Se você está doido para pegar um monitor 27 polegadas gamer, boa, vai com ele, e fique atento ao ghosting.

Agora, acho que mais vale você pegar um 24 polegadas com melhores cores e um painel IPS para ter um desempenho melhor e menos artefatos. Se você é gamer, conseguirá fazer o upgrade para um 144Hz. O mesmo vale para um monitor para ser usado mais para trabalho, que pode ter uma resolução Quad HD ou 4K nesse tamanho menor.

Mesmo que em uma tela ligeiramente menor. O mesmo vale para escrever. Com 27 polegadas, a densidade de pixels é boa para jogar, mas não para ler e escrever, que é o que eu realizado na maior parte do meu dia.

O resumo da conversa é que eu gostei e recomendo se você está doido para pegar um monitor 27 polegadas gamer, mas acho que existem duas soluções que eu considero melhores. Pegar um gamer 24 polegadas já com 144Hz ou uma cor melhor, trocas que são bem possíveis. Ou se for pra principalmente trabalhar e quem sabe jogar um pouquinho, pular para um 4K também de 24 polegadas.

7 Total Score

User Rating: Be the first one!
Diga o que você achou

Leave a reply