Moto G6 Plus vs Moto G7 Plus: muito parecidos

O Moto G6 Plus conseguiu ser um dos aparelhos mais vendidos do último ano sem oferecer um diferencial muito claro. A nova geração trouxe avanços e algumas melhorias que ficam mais fácil de posicioná-lo em um mercado tão cheio de opções, mas será que vale fazer o upgrade para o Moto G7 Plus ou economizar com o modelo anterior? É o que vamos tentar responder hoje.

Para os padrões de 2019 é muito fácil encontrar um problema no Moto G6 Plus. A sua frente não está sendo muito bem aproveitada. Em cima não tinha muito o que fazer sem adotar o notch, mas embaixo, o nome da Motorola junto do leitor de digitais ocupa um espaço desnecessário, que felizmente foi, em parte, resolvido no Moto G7 Plus.

 

Com esse melhor aproveitamento frontal, a tela cresceu de 5,9 polegadas no G6 Plus para 6,2 no G7 Plus sem grandes mudanças no tamanho do aparelho. Boa parte por conta do notch gota. Eu sempre achei essa uma boa forma de aproveitar mais o corpo do celular, e agora essas novas formas estão deixando os celulares bem mais estilosos.

Aliás, ele tem uma pegada um pouco mais “fina” por conta dos chanfros, mas no fim, os dois ainda estão bem semelhantes, com o novo modelo trazendo uma cor bem mais bonita, o rubi.

 

Quando falamos da tela por si só, ambos contam com resolução Full HD em um painel LCD IPS de brilho forte, numa média de 850 lux, então em qualidade de tela, nada muda, só no entalhe e espaço. Aproveitando que estamos falando de experiência com multimídia, uma diferença até que relevante é a presença de um alto falante estéreo logo acima da tela e do lado da conexão USB-C, e que claro, tem uma qualidade melhor e utiliza tecnologia Dolby Atmos.

Faltou falar da bandeja tripla que está presente nos dois. Aliás, se eu parar para listar as características completas de cada um, esse comparativo vai ser basicamente eu falando que é tudo igual, então bora comentar as diferenças mais importantes.

Desempenho

O chipset do G7 Plus é o snapdragon 636, mais ou menos 20% mais potente que o snapdragon 630 do G6 Plus. Isso significa basicamente que com o Moto mais novo, dá para tentar sair das configurações baixas em alguns jogos e tentar um médio. Eu consegui fazer essa mudança no PUBG, mas de vez em quando o G7 Plus travava, então não sei se seria o ideal.

Você também sente uma pequena diferença no tempo de abertura de aplicativos, mas honestamente, é bem pequeno e não valeria fazer uma troca só por conta disso. Recentemente o mercado deu uma esfriada nesse quesito, e apesar de existirem outros chipsets intermediários mais potentes, a Motorola optou por não pegar um tão moderno agora no começo de 2019, deixando esse pulo maior para a próxima geração, ou para o Z4 Play.

Para algumas pessoas, a ausência de TV no G7 Plus pode ser um problema. Nessa linha, apenas o G7 Power possui suporte para tal utilidade, enquanto ela estava mais difundida na família do G6. Não é algo que eu particularmente uso, mas é um diferencial forte para um tipo de usuário. Eu entendo que com a bateria menor poderia ser furada colocar uma TV por aqui.. Mas, sempre melhor ter mais que menos.

O Android Pie já vem de caixa no G7 Plus, e em breve chega no G6 Plus. Acompanhando a atualização vieram também algumas mudanças na interface da própria Motorola. A principal foi no Moto Voz, que antes tentava ser um concorrente do Google Assistente ou da Bixby, mas era bem inferior a esses dois.

Essa função evaporou quase que por completo, deixando toda essa parte de comandos de voz nas mãos da Google. De qualquer forma, isso era algo tão pequeno no próprio G6 Plus que sua ausência faz pouca diferença. No geral a experiência com o sistema dos dois aparelhos é praticamente igual, quase num ponto que você não sente que está com um celular novo na mão.

Bateria

Aliás, acho que está na hora de falar disso. Apesar de numericamente o G6 Plus ter uma bateria com mais carga, 3200 contra 3000 mAh, nos nossos testes o G7 Plus teve uma perda por hora menor em diversos aplicativos, provavelmente por conta da eficiência superior do chip.

Mas o que importa aqui mesmo é o tempo de carga. O Plus da nova geração acompanha um carregador de 27 Watts, que vai de 0 a 100 em menos de uma hora, contra quase uma hora e quarenta do G6. Praticamente o dobro do tempo. Isso para quem não consegue parar muito tempo e quer uma carga rápida é uma baita de uma diferença. E como o G7 plus ainda chega com mais bateria no final do dia, ele passa a ser uma opção muito mais confiável.

Câmera traseira e frontal

Outra diferença que pode ser um fator de compra é a câmera. Ambos possuem um conjunto de dois sensores com uma lente principal e outra para o modo retrato na parte traseira. A diferença começa na resolução que passou de 12 para 16 megapixels, além da adição de uma estabilização ótica.

Com essas duas diferenças, o G7 Plus fica um pouco na frente no nível de detalhes da foto, além de ir melhor nas funções que demandam mais processador, como HDR e desfoque com a segura câmera. Mas sinceramente, ainda é bem parecido. Depois que a foto é tirada, o software de câmera geralmente propõe algumas mudanças e melhorias que até que ficam legais e que separam um pouco mais as duas câmeras. Mas, com o Android Pie chegando no G6 Plus, essa diferença cai por terra.

A grande diferença mesmo é nos vídeos, onde a estabilização ótica deixa o vídeo muito mais estável que o método eletrônico, sem precisar “cropar” a imagem.

Nas selfies ambos são fracos, em ambiente com iluminação ruim as fotos ficam bem granuladas e podem estourar o branco por excesso de exposição. O modo retrato das selfies são bem mais ou menos e erram contornos com facilidade. No geral nenhum dos dois é recomendado se esse é o seu foco, mas o G7 Plus ganha um pouco pelo maior número de pixels.

A verdade é que nenhum dos dois apresenta muito nesse quesito de câmeras, mas o G7 Plus é claramente superior quando você faz um acumulado de todas essas pequenas melhorias nas fotos e vídeos. De novo, pequenas melhorias.

Conclusão

A grande verdade é que o G6 Plus já é um celular bem legal pelo preço. Geralmente upgrades de uma geração só não valem muito, mas, se você quer carregar a bateria muito rápido e ter um espaço de tela maior, vai investir um pouco mais mesmo, porque o G7 Plus tem características próprias.

Nesse caso, você ganha um sistema de som, câmeras e desempenho superior, o que também é bom. Enfim, é pensar, mas o que dá para dizer é que esse rubi está lindão demais.

Diga o que você achou

Leave a reply