Moto G6 vale a pena? Análise completa

Eu sempre acho que os equipamentos do meio são os mais incompreendidos. O Moto G6 Play entrega um design muito bom para sua faixa de preço, enquanto o Moto G6 Plus entrega configurações superiores aos modelos da linha Z de geração passada, com uma câmera que me impressionou.

O Motorola Moto G6 por sua vez não parece ter uma estratégia clara, mas pode ser um bom celular. Sobre ele que eu vou entrar mais a fundo se ele vale ou não a pena.

Design

Com acabamento em vidro, bordas curvas e uma pegada mais ergonômica do que seu irmão mais parrudo, o G6 Plus, o modelo G6 é provavelmente um dos celulares com melhor acabamento na sua faixa de preço, batendo de frente apenas com o Moto X4 que teve quedas de preço vertiginosas.

Ele tem bordas um pouco mais arredondadas e o típico calombo na câmera que permeia todos os celulares da Motorola atualmente.

Vem com uma entrada USB Type-C, algo legal para um modelo da série G, botões apenas na lateral direita, uma entrada de fone de ouvido e claro, uma bandeja com 3 espaços (2 para cartões SIM e uma para cartão MicroSD).

Tela

O grande diferencial da linha de 2018 no entanto está bastante atrelado a tela de 18:9 que chegou em todos os modelos.

Ela tem 5,7 polegadas, conta com resolução Full HD, utiliza tecnologia IPS LCD e basicamente tem brilho, contraste e cores muito similares ao do modelo anterior, o G5S.

O que quer dizer que tem brilho suficiente para bons resultados dentro de casa e que pode sumir um pouco fora. Bem como os pretos que não são tão intensos mas a tela tem cores mais reais e agradáveis.

Se você não comparar com nenhum celular mais caro nem vai perceber que tem uma ou outra deficiência por aqui, porque é bem legal.

Desempenho

No desempenho a Motorola preferiu não investir tanto quanto no design, já que o aparelho trabalha com um Snapdragon 450 e 3GB de RAM.

Um octacore que vai até 1,8 Ghz, e que apesar de ser uma evolução direta do 430 presente no G6 Play ainda fica pra trás do Snapdragon 625 presente em vários celulares com preços até mais baixos que o G6.

Além do desempenho, que eu já vou comentar, isso trás alguns pontos chatos, como a falta de capacidade de gravar em 4K. Felizmente, temos acesso a redes 5Ghz, coisa que o modelo mais barato não tem.

Achei que o desempenho do Moto G6 poderia ser melhor, já que facilmente aplicativos tiveram de ser reabertos e vindo direto de um período com o G6 Plus, eu senti também um pouco mais o tempo de carregamento e de transição.

 

A transição para uma tela Full HD também deixa bem parecido o desempenho do Moto G6 frente ao G6 Play em jogos, então apesar de você conseguir rodar, coisas mais pesadas como Breakneck começam a ter um pouco de quedas de frames e tempos de carregamento maior.

Se você está vindo de um celular de mesma faixa de preço do ano passado talvez não se incomode, mas como eu disse, modelos com Snapdragon da linha 600 vão melhor.

Software e Android

Um diferencial de toda a linha G6 é estar atualizada para o Android Oreo e a promessa de atualização para o Android P, que deve chegar entre esse e o próximo ano. Isso dá uma vida útil maior ao aparelho e claro, traz algumas funcionalidades legais como notificações aprimoradas, melhor codec de áudio e picture in picture.

Com relação ao sistema, temos algumas substituições de aplicativos padrão pelos da Motorola e alguns adendos como notificações, planos de fundo, App Box, Dolby Audio e o aplicativo Moto, que agora gerencia também algumas informações e dicas para manter o seu celular funcionando corretamente.

A ideia é que ele centralize algumas dicas e funções como dicas de arquivos não usados para apagar memória RAM para ser liberada, duração e indicadores de bateria e até mesmo dá algumas dicas de funções ainda não usadas como a opção de eliminar a luz azul da tela.

Nesse aplicativo encontramos o Moto Key, que permite a você o uso da digital como senha para diversos serviços, as moto ações que já vemos a algum tempo na linha G, e que basicamente se tratam do chacoalhar para ligar a lanterna, girar para ligar a câmera e mais uns tantos outros atalhos que eu gosto.

Está presente também o moto tela que mostra mais detalhes de notificações com a tela travada e finalmente o moto voz que foi bastante atualizado. Recurso ausente no Moto G6 Play.

Com as atualizações, agora conseguimos modificar algumas configurações do celular como ativar bluetooth, Wi-Fi e ligar o modo avião. Podemos também acessar informação de outros aplicativos ou já acessar esses aplicativos de forma limitada e fazer algumas perguntas que nos levam para resultados da internet.

Apesar de estar traduzido para o português, é necessário executar frases bem montadas para conseguir ativar as funções corretamente. Qualquer deslize e a assistente não te entende, o que é um problema.

A Motorola ainda afirma que conseguirá fazer pesquisas contextualizadas e que o aplicativo ainda está em desenvolvimento. Vamos ver até onde que isso vai com a Samsung tendo sua própria assistente e a LG usando a do Google.

Câmera traseira e frontal

Em questão de câmera eu fiquei bem dividido. Ele conta com um sensor principal de 12 megapixels com abertura f1.8 e um segundo sensor de 5 megapixels para realizar o modo retrato e outras funções.

É possível focar rápido e tirar fotos sem muitos engasgos, coisa que acontece um pouco no modelo Play, mas ainda sim faltam mais cores e definição tanto em boa quanto em baixa luz, onde o equipamento faz um bom processamento mas ainda granula bastante.

Com isso, você se sente mais perto de uma câmera de entrada do que realmente de um celular intermediário.

Se você não liga tanto para câmera, ótimo, mas um Moto G5S Plus pode entregar um resultado melhor nesse quesito por menos. Ele consegue entregar um resultado melhor na câmera principal, já que no modo retrato tivemos um leve avanço no recorte, que ainda fica fraco se você tiver muitas mechas de cabelo esvoaçantes.

Outra funcionalidade inclusa é o modo câmera inteligente. Como é o mesmo do G6 Plus eu vou falar a mesma coisa que falei no review dele: essa funcionalidade já estava presente anteriormente mas pra ser bem sincero, esse modo é bem mais ou menos.

Até tem hora que ele reconhece algumas coisas como o iPhone, que ele achou que era o 7, mas era o 8. Ou o Masp que ele identificou como edifício de concreto azul e laranja, trazendo resultados do Bing que não ajudam em nada.

Eu fiz o mesmo teste que com o G6 Plus e o modo de leitura de texto funciona bem apenas quando as letras são mais padronizadas, porque no caso de uma capa de livro com diferentes tipografias, por exemplo, ele se perde todo.

Para fechar, a função de recorte de objeto é basicamente ruim a ponto de ser desnecessária.

Um ponto interessante é que esse modelo consegue gravar em 1080p a 60 frames – o que para meros mortais pode não importar muito mas dá pra jogar no pc o video, fazer um slow e pronto.

Então olhando para a câmera traseira do G6 apenas por si só, dá para falar que ela tá ali perto dos 1000 reais, atrás de concorrentes diretos e de modelos como G5S Plus.

A frontal de 8 megapixels é basicamente a mesma do G6 Plus e entrega um resultado bem condizente com seu preço. Não é nada que impressiona, como deveria ser a câmera do X4, mas dá pro gasto.

Ela tem uma taxa de contraste e nitidez maior do que a média em seu processamento para conseguir melhor definição mesmo em baixa luz, onde sofre bastante.

Bateria

Em bateria o Moto G6 ficou exatamente dentro do esperado. Apesar de ter uma bateria de 3000mAh, um pequeno incremento perante o modelo Play, ele também tem tela maior e com maior resolução o que faz com que as 8 horas de tela sejam mantidas.

Isso é um resultado bom, que bate de frente com o desempenho do Moto G5S e que é ajudado pelo carregamento rápido que permite 86% de bateria em 1 hora de carregamento e finaliza os outros 14% em menos de quarenta minutos.

Conclusão

Se você está interessado em um celular da linha Moto G6 vale bem a pena gastar um pouco mais nesse modelo aqui no lugar do Play, já que você ganha uma tela com resolução melhor e câmera também ligeiramente melhor por um preço não muito mais expressivo.

Com um valor inicial de 1299 reais você vai querer comprar o Moto G6 pela sua tela, sistema operacional atualizado e de quebra ganhar uma bateria legal.

Eu digo isso porque modelos como o J7 Pro ganham em quesitos como câmera e processamento saindo pelo mesmo preço, ou é possível pegar um Moto G5S Plus ou Moto X4 para melhores câmeras e processamento também. Então, se é isso que você preza, vale a pena olhar outros modelos.

8 Total Score
Motorola Moto G6

O intermediário da linha G que não ganha muita atenção pelo preço mais baixo do Moto G6 Play e as melhorias do modelo Plus, mas que não deixa a desejar e com uma queda de preço vira uma ótima opção.

User Rating: 4.5 (2 votes)
Diga o que você achou

Leave a reply