Moto G6 vs Galaxy J7 Pro: uma escolha difícil

Se você acompanha o canal já deve ter visto o nosso comparativo entre o Moto G6 Plus e o Samsung J7 Pro, certo? No geral, o modelo Plus levou a melhor, mas também é mais caro. E se pegarmos dois equipamentos na faixa de preço como o Moto G6 e o Galaxy J7 Pro? Vamos destrinchar cada um dos modelos para você saber qual vale mais a pena.

Design

Assim como no Moto G6 Plus, a diferença mais perceptível entre esses dois caras é o design. No G6, temos uma traseira em vidro com as bordas arredondadas, que até dá um ar mais premium ao aparelho. Enquanto que no J7 Pro o corpo é todo em alumínio e apesar de não parecer tão “premium”, é também bastante escorregadio.

Gosto de comentar que o alumínio dá uma sensação de que o aparelho é mais resistente, principalmente a quedas, onde amassa e não quebra, como os de vidro, mas na boa, é bom comprar uma capinha, que já vem no celular da Motorola.

Ele já vem com a conexão USB-C, que felizmente está se tornando um padrão, e com uma única saída de som logo acima da tela. Em questão de qualidade, ela é bem parecida com a saída do J7 Pro que fica no lado direito do aparelho, mas conta com o benefício de possuir a tecnologia dolby audio já embarcada, que permite algumas configurações e equalizações adicionais. O J7 Pro utiliza uma entrada micro USB para carregamento, o que para mim é um ponto negativo.

Os microfones para chamadas funcionam bem nos dois modelos, apesar de eu não ter gostado muito da qualidade, tanto do Moto G6 quanto do G6 Plus. Não é horrível, mas achei que poderia ser melhor.

Resultados de GPS foram bem parelhos entre os dois. Eles se saíram bem aqui em São Paulo. Temos o sensor de impressão de digital nos dois casos, e os dois se saem bem por aqui também, reconhecem o dedo até de ponta cabeça.

O layout “linguicinha” do Moto G6 no fim é desnecessário, porque a Motorola não eliminou o tamanho de borda, o que achei uma furada. Pelo menos, temos no G6 o uso de atalhos através do sensor de digitais, algo que junto da tela estendida ajuda o modelo a ter um aproveitamento melhor de espaço, já que em tamanho de corpo os dois são bastante similares.

Como vocês sabem bem, o J7 mantém um design mais antigo, que usa os botões do Android na carcaça, botões físicos. E no fim, não vejo isso como um problema, mas como uma escolha.

Os dois contam com bandejas que permitem tanto dois chips e um cartão micro SD juntos, mas o J7 pro já tem um sistema operacional que traz opções de duplicação de aplicativos para usufruir melhor dessa possibilidade com 2 whatsapps, facebooks e afins.

Software

Aproveitando o tema, o G6 já vem com o Android Oreo, que traz algumas funcionalidades legais como abertura de opções logo na home quando você pressiona os aplicativos, mais opções de configurações e melhorias em desempenho. A Samsung já avisou que vai chegar para o J7 Pro, só não sabemos quando.

Felizmente, ele já conta com a Samsung Experience 8.1, que é um software baseado no Android 7. Foi o padrão do ano passado.

Apesar dessa interface pesada e um tanto atrasada, ela tem algumas funções bem interessantes e que podem acabar valendo a pena, como aqueles aplicativos duplos anteriores e opções de configuração. A Samsung é meio que, “ah, vamos lotar de opção que pode ser que alguém goste”.

No G6, o Android é menos customizado, trazendo algumas características próprias como as moto ações, moto tela – que faz frente ao always on display – e o moto voz aprimorado que é tipo uma Bixby, que chegou no Galaxy J7 Prime 2 mas não está presente no Pro. Enfim, questão de gosto, mas o Android do G6 é realmente mais “leve”.

Tela

Em questão de tela, temos outro embate bastante acirrado. Isso porque no J7 Pro você encontra um painel de 5,5 polegadas super amoled com resolução Full HD, que permite o modo always on display e bons ângulos de visualização, inclusive sob o sol. Eu gosto muito do fato dessa tecnologia entregar uma taxa de contraste excelente e prometer gastar menos energia, mas suas cores são um pouco exageradas.

No G6 tivemos a adoção do novo formato de 18:9, com 5,7 polegadas e tecnologia IPS. Em questão de brilho os dois aparelhos são muito similares, mas como eu disse, com os atalhos no sensor, o G6 acaba por ter uma área útil maior.

Ficamos basicamente com contraste e saturação versus espaço de tela e cores mais reais. Novamente é questão de escolha. Eu fico em cima do muro porque prefiro a tecnologia amoled mas o 18:9 é bem mais “útil”! Por isso que fiquei com o Galaxy S8.

Desempenho

Em questão de processamento, o G6 Plus ganha fácil do J7 Pro, mas com o G6 o embate fica mais parelho, afinal, apesar de em benchmarks o Snapdragon 450 se sair melhor, no dia a dia não dá para sentir tanto assim. Até porque, o J7 Pro vem com os mesmos 3GB de RAM, o dobro de armazenamento, e o Exynos 7870.

No dia a dia o G6 parece mais rápido e lida um pouco melhor com jogos um pouco mais pesados como breackneck, onde tem menos quedas de frames, mas eu senti que ele fechou mais aplicativos, fazendo com que necessitasse reiniciá-los com maior frequência.

Um ponto que o J7 Pro se sai bem é na sua bateria. Ele conta com 3600mAh, um valor 20% maior que os 3000mAh do G6. Com isso, o J7 Pro alcança quatorze horas e meia de reprodução de vídeo contra certa de 10 horas do G6. No dia a dia, isso quer dizer que você vai chegar com uns 35% sobrando através de uso moderado e uns 15% no G6. Pelo menos foi o que aconteceu comigo.

Por outro lado, vale lembrar que somente o G6 possui carregamento rápido, indo de zero a cem em 1 hora e meia contra duas horas e meia do celular da Samsung. No geral a diferença não parece tão grande, mas aquela primeira hora que é onde o celular mais carrega, faz uma diferença sim.

Dá pra dizer que nesse quesito eles ficam empatados e que dependem do dia a dia para serem mais efetivos. Se você fica muito na rua, J7 Pro é a melhor escolha, se tem onde carregar no meio do dia, G6.

Câmera traseira e frontal

O J7 Pro tem uma lente principal com abertura f/1.7 de 13 megapixels, enquanto o G6 já traz câmeras duplas onde a principal tem abertura f/1.8 de 12 megapixels e a secundária tem abertura f/2.2 com 5 megapixels para capturar o modo retrato.

Olhando fotos lado a lado, o J7 Pro deveria captar mais luz, mas quem acaba por sempre ter uma imagem mais clara, até por conta de um HDR de melhor qualidade, é o G6. Ele tem um processamento voltado para mais saturação, enquanto o J7 Pro entrega mais contraste – isso tudo em boa luz.

Em baixa luz, quem leva a melhor é o J7 Pro, que deixa bem menos granulado e mais definido. O chato do J7 Pro quando comparado com o Moto G6 é a velocidade de foco e a necessidade de ativar o modo esporte para não acabar tendo a surpresa de ter fotos borradas.

Além disso, o Moto G6 tem alguns adicionais legais, mas meio inúteis. O modo retrato não funciona bem, recortando mal cabelo e braços e necessitando de muita luz para ir bem. O modo de seleção de cor é até que legal, o modo de leitura de texto só pega informações com uma tipografia mais comum e o modo de recorte é simplesmente ruim. Os modos de timelapse, câmera lenta, panorama e efeitos animados são úteis e estão presentes também no J7 Pro.

Em questão de vídeo, o G6 fica um pouco só na frente, já que consegue gravar em 1080P a 60 frames por segundo contra apenas 30 frames do J7 Pro. Sinceramente, eu não vejo uma diferença tão grande. Seria uma evolução boa se tivéssemos 4K, só presente no G6 Plus, ou no Moto G5S Plus. A estabilização do G6 é melhor também.

Na câmera frontal, os papéis se invertem. O J7 oferece uma melhor especificação, com 13 megapixels contra 8 megapixels do G6, que tem uma imagem menos detalhada e com mais contraste, que eu não gostei muito.

Conclusão

A tarefa de escolher entre o Moto G6 e o J7 Pro é um pouco complicada, principalmente porque os preços estão parecidos.

O J7 Pro, entrega uma construção consistente, uma tela com melhor contraste, câmera traseira bem parelha e com desempenho melhor em baixa luz. Câmera frontal de melhor qualidade, bateria superior em tamanho só que mais lenta para carregar, além de um Android com mais funções, apesar de mais pesado.

O G6, por outro lado, traz um design mais bacana e que vem se tornando tendência pra esse ano por conta da tela numa proporção mais legal. Ele tem um Android menos carregado, desempenho ligeiramente melhor, câmera traseira com melhor qualidade em boa luz e carregamento rápido.

Como eles são muito parecidos você basicamente terá que escolher o que faz mais sentido para você. Melhores selfies? Carregamento mais rápido? Enfim, não tem exatamente o melhor.

Diga o que você achou

Leave a reply