Notebook Flash Samsung: perfeito para quem precisa do básico

O Samsung Flash é o notebook super leve, super simples e super bonitinho voltado para o público jovem. Jargões de marketing a parte, o Flash faz algumas alterações na estrutura básica de um computador portátil para entregar mais de algumas características e menos de outras, tudo em um pacote de entrada, para estudos e consumo de mídia.

Se isso te soa familiar, fica aí que no review de hoje, vou explicar melhor pra quem exatamente serve esse modelo e o que esperar quando se compra um produto mais barato que nem ele.

Construção e tela

O Samsung Flash traz uma construção que chama bastante atenção. Ele é todo de plástico, para conseguir dar uma economizada, mas é cheio de texturas diferentes, com estampa de bolinha por fora e acabamento macio ao toque na parte de dentro. Textura essa que me lembrou bastante papel marchê. A cor do modelo que temos aqui é pêssego com teclas rosa, mas existem mais duas versões, uma grafite e outra branco giz – essa segunda ainda com especificações de hardware um pouco melhores.

A principal proposta desse notebook é justamente ser o mais portátil possível, e olha, objetivo cumprido com sucesso. São apenas 1,4kg e pouca coisa maior que um caderno universitário. Você coloca ele na mochila e até esquece que está carregando um notebook por aí.

Apesar de pequeno, a tela compensa na qualidade. São 13,3 polegadas, resolução Full HD e o painel é LED, com imagem bem nítida e com boas cores, melhor do que qualquer outro notebook de entrada, esse pode até ser considerado um diferencial claro desse modelo. Ela possui tecnologia antirreflexo também, mas o brilho fica um pouco abaixo do ideal e isso complica um pouco o uso em áreas externas.

Outra maneira de chamar atenção foi através do design do teclado. Ele vem com um aspecto retrô bem legal, com as teclas arredondadas e espaçadas, lembrando uma antiga máquina de escrever. A digitação é um pouco mais pesada do que eu esperava, e no começo me incomodei um pouco com o vão entre as teclas, mas depois de trabalhar uns dois dias nele, me acostumei.

Em questão de entradas, temos uma USB na versão 2.0, outra na 3.0 e a tipo C, além do HDMI, leitor de cartões micro SD e entrada para fone de ouvido. São poucas entradas e ainda ficou sem o RJ45 para conectar a internet por cabo. Mas como o notebook não é voltado para trabalhos mais pesados, consegui me virar com o que ele oferece.

Hardware

O que vai faltar, na verdade, é espaço de armazenamento. Essa versão vem com apenas 64GB e o modelo branco tem o dobro, 128GB, que também não é muito. A razão para esse espaço tão limitado é o tipo da memória, chamada de eMMC ou “Flash”, como o nome do notebook sugere.

Essa tecnologia é um meio termo entre a velocidade do SSD SATA e do HD tradicional, porém não lida tão bem com um volume grande de dados, e a taxa de transferência acaba assentando entre 200 e 300MB/s, pouca coisa a mais que os poucos mais de 100 do HD.

A questão é que: porque eles colocariam tão pouco espaço de uma memória que nem é tão rápida assim? Pura e simples economia. Mas não é só uma economia monetária, porque além de mais barata, a memória flash também ocupa menos espaço na carcaça do notebook, que para atingir esse tamanho e esse peso, teve que cortar tudo que conseguiu.

Para contornar esse problema, o Samsung Flash também tem slot M.2, para memórias SSD NVMe. O acesso é simples e a entrada é fácil de encontrar, mas esse é o único upgrade que você pode fazer, já que a memoria RAM é soldada, te limitando aos 4GB que vem de fábrica. É muito louco que ter um armazenamento mais rápido ajuda bastante, mas é capado por outras situações como a RAM e o processador, que já falo.

Ainda com a tampa aberta, você nota que não foi só o disco rígido que foi passear. A Samsung também retirou o cooler, o que deixa o Notebook extremamente silencioso. Essa manobra só foi possível graças ao processador Intel Celeron, que é bem fraquinho. Ele possui apenas 2 núcleos e não passa dos 2,0Ghz, te limitando a apenas programas leves, já que quase qualquer coisa faz o coitado trabalhar no máximo.

Desempenho

Até mesmo navegar pelo Windows Explorer pode ser meio travado se o Windows estiver atualizando algo em segundo plano. Apesar disso, mesmo depois de horas de uso, a temperatura mais alta que registrei, pelo corpo, foi de 42 graus com ele ligado na tomada. Infelizmente, é bem na parte debaixo a região que mais esquenta, o que me incomodou depois de um tempo utilizando ele no colo.

Como você pode imaginar, o Samsung Flash também não possui placa de vídeo, e todo o processamento gráfico também fica em cima do processador, que traz a Intel Graphics 600. Isso pode ser até bom, para evitar a tentação de abrir um joguinho durante a aula.

Mas se você for teimoso e quiser jogar mesmo assim, nós conseguimos rodar League of Legends a 30 frames de forma estável e CS-GO rodou numa média menor de frames, mas também mais ou menos jogável. Você consegue ter uma experiencia agradável em jogos 2D, desde que eles não exijam muito do processador. Eu nem tentei editar um vídeo porque é furada, mas por curiosidade, rodei Resident Evil e foi um dos slide shows mais interessantes sobre apocalipse zumbi que eu já vi.

Outro benefício de ter um hardware mais simples é na duração da bateria. Por aqui você consegue um dia útil inteiro de trabalho, e ainda sobra um pouquinho para checar o email antes de dormir se não exagerar muito no brilho ou em aplicações mais pesadas que navegação e multimídia. Se precisar, o carregador de 39W é super compacto e em duas horas enche a bateria, uma boa marca.

Conclusão

Encontrado abaixo dos 2 mil reais, o Samsung Flash cumpre bem a promessa de ser uma ótima tela com teclado e boa bateria. É para assistir vídeos, ler, escrever e fazer um PPT, mas nada além disso. Um iPad será mais fluido, mas se for pegar um teclado separado e acessórios pode sair mais caro. Por incrível que pareça, perto dessa faixa de preço, notebooks com processador melhor terão telas piores.

Ele pode ser bem prático para o estudante que não usa aplicativos pesados no dia a dia como CAD, compiladores de código ou até mesmo um Photoshop. Se esse é o seu caso e você está interessado, recomendo a versão um pouco mais potente, de 128GB de armazenamento.

7 Total Score

User Rating: Be the first one!
3 Comments
  1. Na matéria vocês dizem que “o Samsung Flash também tem slot M.2, para memórias SSD NVMe”. Esta é minha grande dúvida, pois em todos os sites e no youtube dizem que o slot é para SATA 3, segundo consulta com a própria assistência técnica da Samsung. Vocês tem certeza que ele é para M2 Pcie? Esta informação foi checada como a Samsung?

  2. Boa noite, tambem estou em duvida sobre o slot M.2
    se realmente é sata ou NVMe ou os dois?

  3. Podem tomar com base essa referência “SSD WD Green M.2 2280 240GB SATA III 545MB/s WDS240G2G0B”. Esse m2 pode ser utilizar nesse notebook, nvme não pode.

Leave a reply