Xiaomi Mi 8 vs Galaxy S9: briga dos topos de linha

O Xiaomi Mi 8 é um smartphone que se posiciona como um flagship barato, tentando desbancar os grandes como Galaxy S9 e iPhone X. Com configurações bem parrudas, será que ele realmente consegue entregar o mesmo por um preço menor ou alguns pontos tem de realmente ser eliminados para cortar custos?

Aliás, será que esses são pontos descartáveis e onde vale a pena economizar mesmo? É por isso e por outras razões que decidimos colocar o Samsung Galaxy S9 frente a frente com o Xiaomi Mi 8 para fazer um tira tema.

Design e diferenças

O Galaxy S9+ é exatamente igual ao modelo do ano passado, mas com o posicionamento do sensor de digitais um pouco diferente. Ele tem essa tela curva, característica dos modelos da Samsung, e uma espessura de 8,5mm, contra 7,6mm do Mi 8, que apesar de um pouquinho mais baixo é mais largo por contas das bordas laterais não presentes no S9+.

A pegada dos dois é boa, a construção em vidro é de primeira, mas sinceramente, já começam a faltar algumas coisas no Mi 8. Primeiro, o S9 traz entrada P2, segundo, só o S9 contém proteção IP68 – já tirei muita foto com ele em baixo da água – com o Mi 8 nem pensar. Ele é só resistente à respingos.

Terceiro, temos uma bandeja que permite tanto dois cartões como expansão de memória no S9, contra a impossibilidade de expansão no Mi 8. Quarto, apenas o S9 conta com o carregamento sem fio, que pra mim que fico bastante em casa é bastante importante porque virou uma rotina. Por fim, a saída de som do Galaxy S9 entrega uma melhor qualidade do que o Mi 8, apesar de não ser mais alta.

Ainda sobre os cartões, vale comentar que o Mi 8 é sim dual chip mas que não possui expansão de memória. O valor do equipamento de 128GB no entanto, acaba saindo mais barato que o S9.

Junte isso ao fato do microfone do Mi 8 estar estourando e de eu não conseguir colocar nosso microfone RODE diretamente nele já que não é reconhecido através do adaptador USB-C e pronto. Não conseguimos usá-lo para produção de conteúdo nem com sua câmera frontal melhor.

Tela

As telas são do mesmo tamanho, com 6,2 polegadas, mas o S9 tem um pouquinho mais de espaço útil já que não tem o notch. Eu gosto bastante de como a MIUI se adaptou ao notch, afinal, todos os aplicativos estão organizados e eu acho que dá um estilo diferente pra ele, mas o S9 também é bonitão.

Vou deixar o layout da tela como uma questão de gosto, e dar um empate geral, já que os dois contam com um display super amoled, taxa de brilho bastante alta e até que parecida. Nos dois casos está presente o modo always on display e funções similares. Ficou faltando só avisar que a tela do S9+ é quadHD – é que eu geralmente uso em Full HD mesmo.

Software e desempenho

Nos dois casos temos bastante customizações que felizmente são boas, trazendo várias funcionalidades novas para o equipamento e permitindo parear com outros gadgets das marcas. Sinceramente, a MIUI tem uma interface mais leve, o que se reflete na usabilidade.

Depois de usar o Galaxy S8 por mais de 8 meses dá pra falar que sim, a interface da Samsung vai dando uma engasgada com o tempo, coisa que a MIUI durante meus 4 meses de uso do Mi 6 não fez.

Os dois celulares trabalham com um Snapdragon 845 e 6GB de RAM, todos com boa qualidade e velocidade de leitura e escrita. Então o que pode segurar mesmo é o software. Como o snapdragon 845 é o melhor chip Qualcomm atualmente, nesse ponto o Mi 8 é sim um flagship e não tem o que discordar.

O novo chip e mais memória RAM fazem com que o uso do DEX seja bem melhor que na geração anterior – e está aí uma vantagem interessante – apesar de pouco usual pra maioria das pessoas. Transformar o seu celular em um desktop pode ser ótimo para aqueles que fazem uma utilização mais simples das tarefas mais comuns em um PC.

O Mi 8 trouxe mais alguns incrementos no GPS, fazendo-o ficar bem parecido com o do S9, indo melhor em alguns momentos e pior em outros. Eles meio que são equivalentes. Em bateria também temos um embate, 3500mAh do S9 Plus contra 3400mAh do Mi 8, fazendo com que os dois atinjam perto de 9 horas de uso ao selecionar algumas configurações menos “gastonas” usando a interface de gerenciamento de bateria de cada um.

O carregamento dos dois é extremamente rápido e completa de 0 a 100% em menos de duas horas. Não é que nem um OnePlus da vida com seu dash charge mas vai muito bem, só que o S9 Plus tem o carregamento sem fio que já comentei e que pode importar pra algumas pessoas.

Nós temos NFC nos dois modelos mas é bem mais fácil usar algum tipo de pagamento no Samsung – coisa que você terá de esperar chegar na versão global do Mi 8. Não considero isso um problema, só um aviso mesmo se alguém correr e pegar a versão chinesa.

Ainda em conexões, o Mi 8 não tem acesso à B28 que algumas empresas como a TIM estão utilizando para o 4.5G – pode ser que no futuro você não consiga se conectar a essas reder mais rápidas -, mas por enquanto está tudo certo. Como o S9 Plus tem acesso à essas redes e é certificado aqui no país, ponto pra ele.

Câmera traseira e frontal

Começando pela principal traseira, os dois modelos contam com sensores de 12 megapixels, mas o S9 plus tem abertura de f/1.5, única do mercado até o momento e que tem aquele lance de mudar de abertura para f/2.4 em momentos de boa luz.

O Mi 8 tem uma abertura de f/1.8. No geral, em boa luz as fotos comuns dos dois modelos são realmente muito boas e parecidas. O Mi 8 tem uma tendência de dar bem mais contraste e saturação para a foto, o que pode deixá-la mais interessante pra algumas pessoas, mas eu sinceramente achei que passa um pouco do que eu gosto. Mesmo o S9 trazendo uma imagem mais quente e que as vezes também pode exagerar.

Os dois aparelhos usam uma segunda lente com zoom de até 2x e que tem 12 megapixels com abertura f/2.4 – são basicamente as mesmas especificações – mas, o S9 acaba levando a melhor tanto na estabilização ótica quanto em um melhor processamento e definição em média e baixa luz, mais uma vez.

Parece que a qualidade do sensor é melhor. De novo, o Mi 8 entrega uma experiência bem legal, mas o S9 sobe um pouco o nível pela versatilidade. O modo retrato do Mi 8 é também um pouquinho mais exagerado e consegue fazer ótimos recortes. Eu acho que estamos chegando em um ponto onde é mais questão de opinião do que qualidade.

Na frente, temos o contrário, o Mi 8 leva a melhor. Grande parte disso está relacionado com o sensor de 20 megapixels que capta melhor os detalhes, e que claro, te deixa um pouco mais branco do que o normal. Nos stories ele vai bem e eu fiquei irritado com o microfone do Mi 8 apresentar problemas, assim não pudemos usá-lo na produção de conteúdo.

Os dois contam com uma boa estabilização de câmera, opções de modo retrato que vão melhor no Mi 8 por ter a câmera melhor e milhares de opções de sticker e embelezamento.

Conclusão

Sendo sincero, no geral o Mi 8 é realmente um flagship, com bom desempenho, boas câmeras, linda tela. Mas é nos detalhes que eu senti falta de funções que o S9 Plus trouxe e que em alguns casos podem fazer a diferença de uso.

Se você não procura muito mais do que um celular potente e com boas câmeras, certamente o Mi 8 será uma opção, mas eu ainda gosto de usar um cartão micro SD, ter a saída p2 e poder entrar na água. É questão de necessidade e o S9 é o celular que entrega o maior número de opções simultaneamente. Só que você vai pagar mais caro e começa a ter de colocar tudo na balança.

1 Comment
  1. Como ficam os ícones de notificação no topo da tela no Mi 8? na foto em que os dois aparecem lado a lado fica claro que mtos ícones aparecem no S9 + e no Mi 8 não.

Leave a reply