Sony WH-1000XM2: benchmark do cancelamento de ruído

R$ 2.803,00
in stock
Americanas.com

O Sony WH-1000XM2 é provavelmente o fone com o nome mais complicado no mercado, mas é também um dos melhores em todas as frentes. Focado em desmonopolizar o mercado de fones com cancelamento de ruído, ele chega em sua 2ª geração com alguns incrementos expressivos. Só que você vai acabar pagando por isso, então será que vale a pena?

Design

O design do WH-1000XM2 basicamente não mudou quando comparado com o modelo anterior, e isso é justamente uma coisa boa.

Ele é bonito, fica extremamente confortável na cabeça por conta dessas espumas bem incrementadas, e traz novamente, tanto uma grande flexibilidade no giro dos auscultadores quanto a dobra da haste para conseguir dobrar e guardar com maior facilidade.

Ainda vem com um case rígido bem bonito e que vai te ajudar a levar ele por aí sem se preocupar com quebras ou machucados no aparelho.

Gostei bastante do conforto que ele proporciona, tanto por conta das espumas quanto pela flexibilidade do equipamento. Diferente do Sony CH700N que analisamos à pouco tempo atrás, ele consegue ficar por bem mais tempo no ouvido antes de esquentar, mas como todo over the ear ainda tem um pouco desse problema.

Qualidade de áudio

O 1000XM2 é claramente superior ao Samsung Level On Wireless e ao próprio CH700N da Sony, tanto no noise cancelling quanto no som. Claro, ele sai mais caro do que os dois, mas já consegue trazer um áudio que apesar de não surpreender, agrada bastante.

Falta mais a presença de graves bem definidos, coisa que eu sempre falo que prefiro no Edifier W855BT que é o meu favorito no quesito som até o momento. Mas na boa, em noise cancelling e conforto, fiquei impressionado. E se você precisa colocar mais alguma frequência pra frente, é facilmente regulável via aplicativo para smartphone. Problema é que só funciona de forma nativa em smartphone.

No caso dos PCs você precisa baixar algum aplicativo separado para fazer equalização via bluetooth. Enfim, vale comentar sobre algumas tecnologias embarcadas que ajudam no som.

Funções

A primeira delas é o LDAC que melhora demais a velocidade do bluetooth e o alcance. Ele é bem melhor do que a maioria dos fones. Temos também o DSEE – Digital Sound Enhancement Engine ou Ferramenta de Aprimoramento de Som Digital – que basicamente tenta eliminar a compressão causada por arquivos, como o MP3, para torná-los algo mais perto do FLAC.

Para dar um pouco mais de informação, esse fone vai de 4 hertz até 40 kilohertz, priorizando um pouco mais dos agudos e até que dando uma base boa de graves que ainda assim não aparecem tanto, mas pelo menos não são embolados.

O equipamento chega à uma sensibilidade de até 103 decibéis quando ligado e no cabo e 98 decibéis quando no cabo e desligado, mesma sensibilidade do CH700N.

Em bateria também tivemos um incremento quando comparado ao modelo anterior, de 20 passamos para 30 horas de uso segundo a própria sony. Eu consegui um pouco menos do que isso, cerca de 25 horas de uso com bluetooth e noise cancelling, mas é possível conseguir mais tempo sem essa função.

O fone demora quase 4 horas pra carregar totalmente, mas como a bateria é grande, com 10 minutos de carregamento você já consegue usar por mais de uma hora.

Algumas pessoas reclamam de pressão de ar no Bose CQ35, coisa que não senti nesse modelo aqui. Eu sinto um pouco disso no modelo Samsung Level On Wireless e a Sony afirma ter colocado um ajuste de altitude que mantém o fone sem fazer essa pressão, você consegue realizar isso através do aplicativo, que faz alguns testes rápidos e aplica o novo formato – então não é automático.

Eu não consegui testar isso porque não mudei de atmosfera durante o tempo de teste, mas é possível selecionar a opção de ajuste para tipo de uso, então se você está parado, correndo ou andando de carro ele também faz ajustes com base nos dados do celular.

Acho engraçado que novamente muito do que temos de funcionalidade é baseado em mobile, e sim, eu entendo que o fone é geralmente utilizado em situações como uma viagem de avião, pegar o trem pra ir ao trabalho e afins. Enfim, a diferença é bem pequena e renovo, de forma alguma o noise cancelling me incomodou – acho que esse é sim um dos principais diferenciais.

Um ponto que poderia ser interessante seria a capacidade de regular manualmente o noise cancelling ao invés de só ligar e desligar, mas é engraçado tomar uns sustos em casa enquanto você está ouvindo algo de boas e o mundo exterior tenta entrar em contato com você. Aliás, eu nem recomendo você usar o modo de noise cancelling na rua, porque ele realmente tampa bastante o que vem de fora.

Faltou falar que ele já vem com um plug para encaixar no braço do avião, coisa que mostra ainda mais o foco em quem viaja bastante, e que claro, também tem um cabo com dois lados P2 para você conectá-lo quando estiver sem bateria ou sem um equipamento que contenha bluetooth. Só lembrando que se o equipamento estiver ligado e com a entrada p2, ele tem maior sensibilidade – maior volume do que quando só no p2 e desligado.

Conclusão

O Sony WH-1000MX2 é provavelmente um dos melhores noise cancelling do mercado, com alguns usuários relatando que faz menos pressão que o Bose – que é o renomado nesse quesito. Eu não consigo comparar mas consigo dizer que sim, não me incomodou em momento algum.

Ele também tem uma das melhores qualidades de áudio e é extremamente confortável. Como nem tudo é mil maravilha, ele custa também um pouco mais, saindo por 350 dólares lá fora. Se você é o doido ou doida dos fones ou viaja muito, certamente será uma grana bem investida, mas se não liga tanto assim, pode encontrar outro custo benefício mais interessante.

8 Total Score

User Rating: 5 (1 votes)
Diga o que você achou

Leave a reply