Samsung Style S51 Pen: um notebook para produtividade

O Samsung Notebook 9 Pen, ou como é chamado aqui no Brasil, Style S51 Pen é um notebook voltado para produtividade e que tenta ganhar em 2 pontos. O peso abaixo de 1 quilo e a funcionalidade de um 2 em 1 com caneta e touchscreen. Só que será que vale pagar o seu preço bem acima da média por isso?

Design

A Samsung patenteou recentemente o Metal 12, uma liga de magnésio-alumínio que entrega resistência e leveza simultaneamente. No papel, esse material é incrível, mas tem um porém complicado… Ele parece plástico.

Quando aplicado no Chromebook 9, um aparelho voltado para custo benefício, a mídia especializada no geral não viu problemas, mas no Style S51 Pen, esse material parece estar um pouco fora do seu habitat.

No geral, a experiência de usar o S51 Pen não é ruim, mas é bastante similar ao Style 2 em 1 que usei e testei aqui e custava cerca da metade do preço. E sim, o peso importa pra muita gente, mas já passou o tempo dos notebooks de 2,5kg. A transição de 1,3 kg para 997 gramas pode até fazer sentido no dia a dia de alguém que passa muito tempo fora, mas não vale a queda de percepção de qualidade do equipamento.

Sem brincadeira, parece que falta algo, tipo quando você tirava aquelas baterias externas dos notebooks. Não falo isso de forma pejorativa, porque o S51 Pen foi um dos notebooks que mais gostei de usar recentemente, mas o Yoga 920 traz uma sensação muito mais premium do que ele com quase as mesmas funções. O mesmo vale para o LG Gram que conta com algumas certificações por 100 gramas a mais, algo irrisório.

Felizmente, o notebook ainda mantém uma boa gama de conexões, com um HDMI, USB-C e P2 do lado direito, seguido por um único USB-A e entrada para cartão SD no lado direito.

Com isso eu consegui me virar bem no dia a dia de trabalho, coisa que muitos outros aparelhos estão tendo problemas, mas ele ainda tem o sacana do botão de liga e desliga do lado direito que eu sempre aperto na hora errada. A maioria, senão todos os 2 em 1 tem esse botão na lateral mas sempre me incomoda.

Tela

A tela por outro lado chama bastante a atenção, com resolução Full HD e contraste acima da média, foi basicamente um prazer sair de um MacBook Air e ir pra esse modelo. Tanto pelo fato dele conseguir ter um brilho maior, que atinge cerca de 450 nits, segundo a Samsung, quanto pela melhor fidelidade de cor.

No geral, é uma das melhores telas que já vi em um notebook. Alguns vão dizer que pelo preço ela deveria ser Quad HD, e olha, seria bom, mas já gostei bastante assim.

Além disso, a tela é touchscreen, e claro, aceita canetas passivas. Consegui até mesmo escrever com a S Pen do Tab A P585. Essa funcionalidade aliás, é aprimorada com alguns atalhos que aparecem logo que você retira a caneta do corpo do S51 Pen. Criar nova nota, seleção e escrever na tela são algumas das opções que não só ajudam como mantém a linguagem dos tablets e celulares da marca.

O fato de ter mais de 4 mil níveis de pressão pode ser um atrativo para designers que querem consolidar o seu trabalho em um aparelho único. Me acostumei a usar a caneta do tablet, mas em uma tela maior como essa, uma caneta maior certamente seria mais confortável.

O teclado dá menos resposta do que o normal e eu particularmente gostei. O mesmo vale para o trackpad. Nenhum dos dois fica no seu caminho na hora de ter produtividade, nem são extremamente diferentes – como é o caso do novo MacBook Pro.

Desempenho e bateria

Como já estamos falando de produtividade, dá para falar de desempenho. Equipado com um processador Intel i7 8550U, que evoluiu bastante da sétima pra oitava geração, e um SSD de 256GB, o S51 Pen consegue ligar e sair do modo de descanso de forma bastante rápida, além de entregar uma experiência Windows muito lisa com pesquisas rápidas e boa abertura de aplicativos.

O ponto chato é que o modelo brasileiro veio com um SSD de menor velocidade da marca LITEON CV1 que bate no teto dos 500 MB/s de leitura contra alguns modelos de mesmo segmento conseguindo velocidades bem melhores. O próprio modelo americano vem com um SSD Samsung que é mais rápido.

Mesmo assim, para quem trabalha com produtividade, esse é realmente um notebook que não deixa na mão, a pesquisa é rápida, reiniciar ou ligar o PC também não incomoda, mas para algumas outras funções a falta de uma placa dedicada e o fato do notebook segurar bastante o processador para não esquentar pode ser um ponto chato.

Consegui editar vídeos 4K no Premiere Pro sem problema, tive engasgos quando fui para o After Effects, e claro, tive um tempo de render muito maior do que em modelos maiores como o Dell Gaming 7567 que custou pelo menos R$2.500 a menos e 1,5 kg a mais.

Para jogos é a mesma situação. Consegui me divertir com vários joguinhos indies que eu gosto – Two Point Hospital, Sword of Ditto e afins. League of Legends por ser leve roda sem problemas no médio e você não vai ver o notebook fritando. Ele não passou de forma alguma de 40 graus. Mas, claro, não é nem de longe gamer.

Tudo isso deveria, e na verdade até que ajuda, esse modelo ter um pouco mais de tempo de uso. Com 39W de bateria foi possível ter entre 6 e 7 horas de uso moderado com pesquisas, navegação e bluetooth desligado. O carregador de 45W ainda faz um bom trabalho ao carregar de 0 a 100 em pouco mais de uma hora e meia. Além de ser menorzinho do que a média.

Para fechar, o equipamento conta com um leitor de digitais no teclado que me agradou bastante, conseguiu boa recepção de Wi-Fi, tem poucos bloatwares no seu software e o som que sai por baixo é bem ok – com o mesmo problema de posicionamento de todos os 2 em 1.

Conclusão

Em resumo, o Style S51 Pen é um baita de um notebook legal. Potente, leve, boa tela e extremamente funcional quando você olha todas as suas possibilidades. Mas em uma faixa de preço acima dos 8 mil reais você espera que o notebook realmente não vacile em algumas coisinhas pequenas.

A caneta poderia ser um pouco maior para ser mais ergonômica, a construção poderia passar uma cara mais robusta ao aparelho mesmo que o deixasse um pouquinho mais pesado, o teclado poderia ser um pouco mais resistente, a tela ser Quad HD, e claro, um SSD mais rápido.

Só para trabalhar, o S50 ainda tem um custo benefício melhor e o S51 normal pode ser um upgrade para aqueles que não ligam para a caneta. Com a falta de modelos high end 2 em 1 no mercado atualmente,o S51 Pen é uma opção forçada para quem procura as possibilidades que ele oferece.

8 Total Score

User Rating: Be the first one!
Diga o que você achou

Leave a reply